Blogroll

domingo, 20 de julho de 2014

Fanfic: Magic Dreams - Capítulo 12

   Diretora Morgana convocara todos no Auditório Principal e anunciara o inusitado passeio para a Reserva Floresta Principal. Ninguém ficara muito animado com a notícia, mas, como era a decisão do grêmio, já tinha até mesmo dia marcado.
   Como uma fazia parte do grêmio do Colégio Interno Maria Escalarde, Rebecca fora a única dentre os 10 alunos de idades diferentes a qual era contra o passeio. Ela levara em conta o que acontecera no passeio ao Zoológico do Medo e ia desabafando sobre tal com Mariáh.
   -- A questão, Mariáh, é que eu acho a Reserva Floresta Principal muito mais insegura que o Zoológico do Medo. E olha que o passeio do Zoo foi um desástre! - argumentara Rebecca.
   -- Incidentes assim não acontecem tantas vezes seguidas. - disse Mariáh, de forma calma. - Lembra-se que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar?
   -- Mudando o assunto, você ouviu sobre o Theo e a Clary? Vão ser pais.
   -- O QUÊ? - Mariáh arregalou os seus olhos castanhos.
   -- Sim. Duas meninas: Theodora e Mia. Vão nascer uma semana antes da data do passeio. Mal posso esperar para vê-las! Devem ser lindas afinal, o Theodore é lindo de mais.
   -- Ei! - repreendeu Mariáh. - Eu tenho que concordar mas imagina que coisa mais linda seria a mistura dele e da Clary? Ela toda delicadinha e ele todo glamouroso... Awn!

...
   Após tanto tempo treinando com o namorado, Vitória finalmente aprendeu a controlar suas transformações. Hoje seria lua cheia e ela estava certa de que continuaria como humana! Austin fazia de tudo para ajudá-la mas, em meio à inusitada conversa sobre lobos, um tópico surgiu:
   -- Você não acha estranho o fato de os bebês de Clary e Theo nascerem tão rápido? Não entendo.
   -- Acho, Vicky. - concordou Austin. - Mas por um lado eu entendo: as duas crianças sugariam (além da energia normal) o sangue de Clarissa. Provavelmente o médico da família Schildery mandou ela incluir a "dieta sanguínea" na alimentação.
   -- Isso não é muito difícil considerando que ela passa 90% do tempo na casa dele. Mas e quanto aos pais dela? Esconder a gravidez é fácil por ela estudar num colégio interno. Agora esconder as crianças...
   Vitória tinha razão. Como Theo e Clary iriam esconder as duas meninas? Ela tinha que perguntar isso agora mesmo mas antes precisava ligar para Clisdara. Alguma coisa lhe dizia que a irmã não estava bem. Deslizando o dedo no display de seu celular, discou o número mais rápido do que o habitual e, para sua surpresa, chamou até cair na caixa postal. Tentou novamente, nada.
   Austin, vendo a preocupação da namorada, logo perguntou:
   -- O que foi?
   -- O telefone de Clisdara. Não atende. - disse Vitória, encarando o telefone. - Muito estranho. Sinto que preciso falar com ela.
   -- Tente ligar para Melissa. Ela deve saber onde a Clis está. - disse Austin e, assim, Vicky tentou. Nada.
   -- Preciso ver minha irmã. É urgente. Eu sinto isso!
...
   Kelloe estava tão distraída com seu celular que não viu quando esbarrou acidentalmente em um menino ruivo. Ele tinha os cabelos um pouco abaixo da altura das orelhas, os quais tinha cachos grandes e sedosos; seus olhos eram cinzentos e contornados por um anel preto; sua pele era branca e, na altura do nariz, tinha sardas. Usava uma calça jeans, uma blusa branca e uma jaqueta preta.
   -- Desculpe. - murmurou Kelloe. Ela ainda estava vidrada na beleza do menino e na profundidade que seus olhos traziam.
   -- Sem problemas. - disse ele. Sua voz era gentil e brincalhona, embora trouxesse um turbilhão de outros sentimentos. - Sou Mason. Qual seu nome?
   -- K-Kelloe Luíza. - a menina corou por causa de seu constrangimento ao gaguejar falando o próprio nome. - Prazer. - conseguiu dizer. Depois de alguns segundos que pareceram horas, ela notou que seu celular havia caído e se despedaçado no chão. Começou a juntar os pedaços de seu Xperia quando Mason se ofereceu para ajudá-la.
   -- Sabe, sou novo na escola - começou o garoto. - e não sei nada por aqui. Você sabe se aqui estudam um Theodore Schildery e uma Carla Vitória? - Kelloe assentiu, sem dizer nenhuma palavra. Ela sabia o que Theodore e Carla eram mas não falava nada devido ao pedido de sua prima Clary para fazer silêncio. - Você pode me mostrar onde fica o dormitório de pelo menos um deles? - ela assentiu novamente e saiu andando, na companhia de Mason.
   -- É aqui. Não sei se estão aí no momento. - disse Kelloe, apontando para a porta. - Me desculpe mas tenho que ir para as minhas aulas de reforço. - e, com essa falsa desculpa, saiu.
   Mason teve mais um turbilhão de pensamentos. Como iria explica tudo para Theodore? Não eram parentes nem nada mas, Mason sabia muito sobre o jovem Theodore. Bateu na porta, que logo foi atendida por uma menina loira, linda. Mason já havia visto muitas meninas lindas mas aquela loirinha era incrível.
   -- É... Olá. O Theodore Schildery está neste quarto? - perguntou Mason, pedindo aos Céus que a menina não notasse sua admiração.
   -- Theo! - chamou ela, olhando para trás. - Vem cá. - em segundos, Theodore apareceu na porta. Seu espanto mostrou que ele sabia bem o quê Mason era.
   -- Entre.

Continua...

2 comentários:

  1. Vish continua amr tá pft como sempre,quero saber a parada deste Mason #Lu

    ResponderExcluir